Assessoria | 28/10/2016 Fundesporte têm orçamento proposto de 31 milhões
Jogos escolares, apoio às Federações e esportes sociais serão prioridades para o Governo

A Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul) estima contar para o ano que vem com cerca de R$ 31.503.800. Caso aprovado o valor integral, será praticamente o dobro da proposta realizada para 2016, efetuada em R$ 16 milhões. A proposta total (incluso todas as áreas) referente ao Estado para 2017 chega a R$ 13.991.974.000,00. O valor destinado ao esporte e lazer já conta com os acréscimos de recursos federais.

Conforme o diretor técnico da fundação, Silvio Lobo, 68 anos, a prioridade é o apoio às competições feitas em escolas. “Eu diria três grandes importâncias. Primeiro, os jogos escolares, segundo, as competições nas escolas”, disse. “Depois o apoio a entidades de federação e esporte em rendimento, e em seguida o esporte social em todo o Estado e o trabalho nas regiões de alta vulnerabilidade”, comentou ontem por telefone. Ainda conforme o diretor técnico, a programação para o calendário da fundação para 2017 já foi desenvolvida com dois projetos novos: Segundo Tempo e Luta pela Cidadania. “O programa Segundo Tempo será desenvolvido nas escolas, no contraturno dos alunos, um treinamento de iniciação esportiva e possivelmente será atendido em 40 municípios”, falou.

“Já o Luta pela Cidadania é um projeto evolvendo artes marciais, como judô, taekwondo, programados para 50 municípios”, comentou. Porém, o diretor afirma que as ações dependerão do projeto orçamentário após a sua análise. “A realização ou não desse calendário vai depender exclusivamente das condições do Estado no ano que vem”, argumenta.

“Como é um projeto orçamentário, o valor pode mudar, pra menos da metade contando com todas as despesas pessoais previstas”, indagou. De acordo com o representante da Fundesporte, as dificuldades enfrentadas neste ano é a baixa arrecadação para o esporte. “As dificuldades (financeiras) dão uma redução de transferência de recursos, e a gente recebe menos, e somos obrigados a reduzir pois há prioridades a serem atendidas”, contou Silvio. O diretor ainda fala da importância da realização dos possíveis programas de esporte. “São projetos complementares que alcançam muitas escolas e auxiliam no processo educacional, minimizando os problemas sociais”, finalizou.

Untitled Document

Siga-nos nas redes sociais: