Redação | 27/05/2016 Vai encarar um treino de spinning?

Muitas pessoas que nunca encararam uma aula de spinning acham que é só chegar, sentar na bicicleta e pedalar ao som da música contagiante e dos gritos de incentivo do professor. Mas as aulas são pensadas e variadas de acordo com o objetivo do aluno ou proposta do educador físico. Normalmente são compostas de circuitos que trabalham diferentes estímulos sobre a bike, sendo muito eficientes para ganhar condicionamento físico e resistência muscular, além de queimar calorias e perder peso. Confira a seguir os diferentes estímulos trabalhados em uma aula de spinning e dicas de como acertar sua posição na bike para evitar dores e lesões.

Intervalado – É o treino que alterna picos de alta e baixa intensidade, com a duração sempre controlada pelo relógio.

Força – Tipo de treino que pode variar em contínuo (mesma carga, mesmo ritmo), crescente (mantém ritmo e aumenta carga) e decrescente (aumenta o ritmo e mantém a carga).

Endurance – Consiste em pedalar a maior parte do tempo sentado e mantendo sempre o mesmo ritmo.

Alta Intensidade – Treino que reproduz o ritmo intenso praticado em uma competição, simulando uma corrida.

Fartlek – Circuito que reúne todas essas modalidades citadas, porém misturadas.


Fique de olho
Antes de encarar uma aula de spinning, fique de olho em alguns detalhes no ajuste da bike para acertar sua posição e depois não sofrer com dores ou correr risco de se lesionar.

Altura do banco – Antes de subir, fique ao lado do banco e ajuste-o na altura do osso do quadril. Ao sentar na bike, o seu joelho deverá apresentar uma leve flexão quando o pé estiver na posição mais baixa da pedalada.

Distância do selim para o guidão – A distância entre a ponta do selim e o guidão deve ser a medida do seu antebraço – do cotovelo até a mão fechada. Para conferir, ao sentar e pedalar, certifique-se de que seu joelho não esteja ultrapassando a linha da ponta do pé.

Altura do guidão – Quanto mais alto em relação à altura do selim, mais confortável será sua posição. Há quem prefira uma postura mais agressiva (que é mais aerodinâmica na bike real), com o guidão mais baixo. Mas o importante é levar em conta a sua flexibilidade e encontrar uma posição que não sobrecarregue sua lombar e nem pressione excessivamente o selim contra a região do períneo.

Ajuste do firma-pé – Algumas bikes de spinning modernas já contam com pedais específicos para ciclismo, com clipe para sapatilhas. Mas a maioria ainda utiliza o sistema de calço. Nesse caso, prenda o tênis na fita, deixando-o firme, e não esqueça de colocar o cadarço para dentro, para não enroscar no pedal.

 

(Fonte: Bruno Beroso, professor de spinning da Academia Gaviões 24h, formado em educação física pela UNIMESP e pós graduado em fisiologia do exercício e em reabilitação cardíaca pela USP)

Untitled Document

Siga-nos nas redes sociais: