Fundesporte/MS | 22/12/2016 Fundesporte beneficia 144 com bolsa-atleta O número de bolsistas vem crescendo e a ideia é ampliar mais no ano que vem
Campo-grandense Vilmar Roberto Dias na Volta das Nações (Foto: Gustavo Arakaki)

Oferecer um auxílio mensal para ajudar nos treinamentos e campeonatos dos melhores atletas do Estado é o objetivo da Fundesporte com a bolsa-atleta. Em 2016 foram 144 contemplados, em dois tipos de bolsa: atleta nacional e estudantil. O número vem crescendo e a ideia é ampliar mais no ano que vem.

"Sabemos que nossos atletas precisam de apoio para poderem se dedicar aos treinos e participar de campeonatos. O Governo do Estado, por meio da Fundesporte, com recursos do Fundo de Investimentos Esportivos criou a bolsa-atleta para que o auxílio fosse prolongado e nossos atletas pudessem contar com o valor fixo", explicou o diretor-presidente da Fundesporte, Marcelo Ferreira Miranda.

Todos os anos, a Fundesporte abre processo seletivo para que os interessados em receber a bolsa se inscrevam. Uma comissão interna avalia os currículos, atribui pontuações para os campeonatos disputados e títulos ganhos. Os melhores ranqueados e que estejam em plena atividade esportiva são beneficiados.

Na bolsa estudantil, atletas com idade entre 12 e 16 anos, devidamente matriculados em escolas, que se destacam em suas modalidades, especialmente em campeonatos nacionais estudantis, recebem ajuda mensal no valor de R$ 350,00. Em 2016, 109 se inscreveram para a bolsa estudantil e 94 foram contemplados, em 14 modalidades: judô, futsal, natação, hipismo, atletismo, caratê, ginástica artística, handebol, vôlei, basquete, luta olímpica, bocha, muay thai e ginástica rítmica. O número é cinco vezes maior que o de 2015, quando o Governo do Estado concedeu 15.

Caso de medalhistas nos Jogos Escolares da Juventude e em Sul-Americano como o nadador Luis Henrique Mello Ferreira, medalhista sul-americano, campeão brasileiro escolar e recordista nacional nos 50m peito e de medalhistas das Paralimpíadas Escolares como os campeões Higor dos Santos e Marcial Benites.

Na bolsa atleta nacional, desportistas com idade mínima de 14 anos, com bons resultados nas principais competições nacionais ou escolhidos entre os melhores do país em sua modalidade são contemplados com bolsa mensal de R$ 800,00. Situação da judoca Maria Perfeito que conquistou medalha nos Jogos Escolares da Juventude em 2015 e pôde continuar se dedicando aos treinamentos, este ano. "Consegui manter a bolsa, o que é superimportante.Sem esse apoio, fica muito difícil disputar campeonatos e seguir treinando. O dinheiro ajuda principalmente nas viagens que no judô são muitas", disse a garota.

O mesmo auxílio é recebido pelo corredor Vilmar Roberto Dias que, com a bolsa atleta nacional tem participado de diversas competições pelo país.

.

Neste tipo de bolsa, pelo segundo ano seguido, a Fundesporte selecionou 50 bolsistas, de 207 inscritos em 10 modalidades: atletismo, tae-kwon-do, jui-jitsu, judô, caratê, apartação, bicicross, vôlei, natação e canoagem. A meta é superar esse quantitativo e criar novas alternativas de apoio. "Mas para isso precisamos alterar a lei do programa Bolsa-Atleta. Já propusemos mudanças no número de contemplados e a criação do Bolsa-Técnico e encaminhamos para análise na governadoria e envio para a Assembleia Legislativa", explicou o responsável pelo programa, Domingos Sávio da Costa.

A proposta é beneficiar além dos atletas, os técnicos responsáveis pela formação e treinamento dos destaques esportivos de Mato Grosso do Sul. "Queremos reconhecer e estimular o trabalho de profissionais do Estado. O treinador, o técnico é fundamental para o desenvolvimento do esporte. O trabalho é árduo, existem dificuldades e queremos ajudar de todas as maneiras que pudermos", justificou Domingos.

OUTROS APOIOS

Além das bolsas mensais, a Fundesporte ainda apoia atletas e equipes com transporte, equipamentos e na realização de competições. Somente em 2016, dezenas de esportistas, treinadores e clubes contaram com a fundação para poderem participar de campeonatos nacionais e internacionais. Foram passagens aéreas e ônibus para os quatro cantos do país. Caso da AVP/Rádio Clube que disputou a seletiva e se classificou para a Superliga B, divisão de acesso à elite do vôlei nacional. A bolsista Rosinha Conceição também recebeu passagens e disputa a São Silvestre, em São Paulo.

A equipe de basquete Pantanal Sobre Rodas é outro exemplo. O time foi beneficiado com cadeiras personalizadas (específicas para as necessidades de cada atleta) para praticar o esporte com qualidade e de forma competitiva. Ainda participou da seletiva regional, em Brusque (SC), com apoio da Fundesporte que cedeu o ônibus. "A gente ficou sucateado e graças a Deus agora a Fundesporte cedeu essas cadeiras. Os mais antigos estavam pensando em parar, mas agora deu um gás novo", falou o atleta Fábio Rodrigues. Quase não havia apoio para o esporte adaptado. Receber essas cadeiras foi muito bom porque vemos que a situação começa a mudar", completou José Alonso.

A Fundação também distribuiu kits esportivos - com bolas, cones e redes - aos cinco primeiros colocados das modalidades coletivas dos Jogos Escolares de Mato Grosso do Sul e dos Jogos da Juventude de Mato Grosso do Sul. "É mais um estímulo para os times porque há mais do que a vaga para o nacional e as medalhas em disputa. Este foi o segundo ano que distribuímos os kits e esperamos que eles possam contribuir para a melhoria do nível técnico", explicou o gerente de Desenvolvimento de Esporte e Lazer, Paulo Ricardo Nuñez.

Modalidades menos praticadas também ganharam espaço. Este ano, a Fundesporte foi parceira dos campeonatos estadual e nacional de rugby, auxiliando diretamente na divulgação e desenvolvimento do esporte. "O rugby ainda está conquistando seu espaço e nesse tempo, a participação da Fundesporte foi imprescindível, no apoio e na realização de eventos. Sem esse apoio não conseguiríamos realizar as etapas do campeonato", avaliou Raphael Martinez do Campo Grande Rugby Clube.

Os pedidos de apoio devem ser feitos com antecedência. Os interessados em transporte precisam informar seus currículos e os detalhes da competição para análise. As propostas de parceria em eventos devem ser encaminhadas para análise nos termos e prazos da lei do FIE. "A Fundesporte está de portas abertas para nossos atletas, clubes e federações. Estamos à disposição para receber atletas, técnicos e dirigentes. Basta nos procurar que faremos o possível para ajudar. Nosso objetivo é desenvolver o esporte em nosso Estado e isso inclui investir na base, no esporte de rendimento, em atletas e técnicos", concluiu Marcelo Miranda.

Untitled Document

Siga-nos nas redes sociais: