Campo Grande News / Nyelder Rodrigues | 13/04/2017 TJD dá ganho ao Naviraiense por 7 a 0 e mantém Ivinhema rebaixado
Naviraiense aplica duas vitórias em cima do rival Ivinhema numa mesma partida: em campo e no tapetão. (FOTO: Orisvaldo Sales)

O TJD-MS (Tribunal de Justiça Desportiva de Mato Grosso do Sul) manteve o rebaixamento do Ivinhema para a Série B do Campeonato Estadual e deu ganho ao Naviraiense na ação movida pelo Azulão do Vale, contestando a escalação de um jogador Jacaré do Cone Sul, seu maior rival.

No Estadual deste ano, o Naviraiense terminou a primeira fase em 6º lugar na tabela de classificação, enquanto o Ivinhema fechou em 7º, na lanterna da competição, sendo rebaixado para a Série B de 2018.

Até antes do início da última rodada, a lanterna era o Naviraiense, rival histórico do Ivinhema. Porém, foi justamente em um clássico entre os clubes que a posição na tabela foi invertida. A vitória foi por 3 a 1.

Porém, dias depois, o resultado foi contestado e o Ivinhema pediu punição para uma possível escalação irregular do jogador Júlio César pelo Jacaré. O atleta estava inscrito no BID (Boletim Informativo Diário) da FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul), mas não no BID da CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

A situação, porém foi resolvida em julgamento no TJD nesta noite de quarta-feira (12), com as alegações do Ivinhema sendo rechaçadas e o Naviraiense conquistando vitória unânime do tribunal, por 7 a 0.

“Eles se apegaram ao regulamento do campeonato e decidiram que ele soberano. E no regulamento diz que o jogador precisa estar registrado na Federação, então não houve irregularidade. Esse procedimento pela CBF demora, então muitas vezes ele é concretizado só depois”, comenta o diretor de futebol do Naviraiense, Wilson Soares dos Reis, o Soares Filho.

O direito ainda completa explicando que Júlio César veio de um clube carioca, e explicou que situação semelhante aconteceu com o atacante Alex Cruz, do Ivinhema. “Ele jogou a final pelo Ivinhema, mas só apareceu dois dias depois no BID da CBF”.

Untitled Document

Siga-nos nas redes sociais: